sexta-feira, 25 de julho de 2008

SERASA

Levantamento divulgado na última quinta-feira pela Serasa revela que as dívidas dos brasileiros com os bancos atingiram valor médio de R$ 1.375,36 entre janeiro e junho deste ano, o que representa um aumento de 8,2% sobre o mesmo período de 2007.
Já as pendências com títulos protestados registraram um valor médio de R$ 931,66 nos seis primeiros meses de 2008. Frente ao mesmo período do ano anterior, percebe-se uma alta de 10,8%.
Ainda de acordo com a entidade, o valor médio dos cheques sem fundos registrados no período chegou a R$ 645,53 - 6,3% a mais do que em 2007. Em último lugar, aparecem as dívidas com cartões de crédito e financeiras cuja média ficou em R$ 416,15 entre janeiro e maio, quantia 16,4% superior à do mesmo período do ano anterior.
As dívidas com bancos ainda lideram o ranking com 43,2% de representatividade da inadimplência dos consumidores nos meses de janeiro a junho de 2008 contra os 37,9% registrados no mesmo período de 2007.

2 comentários:

kaio disse...

apesar de não tem nada haver com o assunto. gostaria de dar minha opinião, sobre um assunto muito triste que fiquei sabendo. Que as pessoas de Parauapebas não gostam dos maranhences, porque a vale extrai os recursos dai, e levam para o maranhão. Assim, investindo no maranhão e esqueçendo parauapebas. isso não acontece, a não ser que tenha outro maranhão no brasil, porque aqui muitos passam fome, por ser terra do arroz, o arroz custa caro, tanto o arroz quanto feijão, muitos vivem em barracos porque casa propria não tem, o governo disse que ia mandar ajuda pra casa propria, mas vem aqui e tenta conseguir verba pra isso, emprego é luxo, agora que a familia sarney está nadando em dinheiro eu não duvido, pra ter uma ideia um kilo de arroz custa 2.85 do bom, e 2,oo tipo 3, feijão 6,5, carne kilo 9.8, gas 40,00, aluguel 450, (150 um quadrado)em muitos lugarem nem agua tem, e quando tem é dia sim e dia não. peço desculpas por esse desabafo, lamento muito mesmo,já estive ai e gostei muito, mas é preciso está aqui pra saber como é a vida dos maranhences, que nem atendimento hospitalar tem com dignidade.

Anônimo disse...

Meu irmão maranhense, 43% dos moradores de Parauapebas são maranhenses e apenas 17% são paraenses, assim não tem como sermos preconceituosos. Sempre que puder venha nos visitar, você vai continuar sendo bem recebido. Quanto a transferência de riquezas, sabemos que a maior parte dos nossos recursos vão embora daqui, mas é para a China, Holanda e outros países do mundo. Defendemos a vertilicalização da exploração mineral que pode ser aqui, no Maranhão ou qualquer outro estado, desde que no Brasil.